Sustentabilidade

Desenvolvimento Sustentável

''A Humanidade tem condições de promover um desenvolvimento sustentável que satisfaça as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de safisfazer suas próprias necessidades.'' Excerto de ''Nosso Futuro Comum'' - Brundtland Report, 1987, p.24 - Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento da ONU.

Duas décadas depois, o modelo de produção e consumo atual está sendo questionado pela sociedade e cada indivíduo, assim como cada empresa, pode dar sua contribuição para preservar o meio ambiente.

A Sustentabilidade é um conceito abrangente e em construção. O termo define a mudança de paradigmas, onde produção e consumo visam o equilíbrio das relações entre homem e natureza, preservando os recursos do planeta para as gerações atuais e futuras.

O Desenvolvimento Sustentável aborda simultaneamente no mínimo quatro tipos de ação: ser ecologicamente correto, ser economicamente viável, ser socialmente justo e ser culturalmente aceito.

Oportunidades Relacionadas à Adoção de Práticas Sustentáveis

A conscientização do consumidor de sua responsabilidade para com o planeta está cada vez mais clara, e possui influência marcante em suas escolhas.

Em pouco tempo, a responsabilidade socioambiental deixará de ser apenas um fator agregador de valor e passará a ser incorporado como básico no momento da compra, influenciando tanto quanto o bom atendimento.

Neste contexto, as empresas que adotarem a Sustentabilidade em seu planejamento estratégico ganharão notória visibilidade, valorizando suas marcas aos olhos do público consumidor. Um novo tipo de postura empresarial está ganhando espaço no mercado.

Algumas vantagens decorrentes de alinhar práticas sustentáveis aos valores corporativos:


- Ganho de visibilidade e valorização da marca, pela adoção de práticas socioambientais;



- Transparência frente a investidores nacionais e internacionais;

- Capacitação das equipes técnicas e demais colaboradores;


- Disseminação da cultura de sustentabilidade para todos os públicos envolvidos: clientes, funcionários, comunidades, fornecedores, parceiros e governos;

- Possibilidade de influência na cadeia produtiva, pela utilização de práticas sustentáveis.

Construções Sustentáveis

Alinhado ao conceito de desenvolvimento sustentável, está sendo mundialmente consolidado o conceito de construção sustentável que, em linhas gerais, garante incrementos visíveis em desempenho ambiental e compromisso com a Responsabilidade Social.

As edificações são responsáveis por consideráveis consumos de recursos naturais e geração de poluição e resíduos nas cidades. As decisões tomadas em projeto e durante a construção de um empreendimento terão reflexos em toda a sua vida útil, não só no próprio edifício, mas também em seu entorno e na comunidade onde está inserido.

Planejar e construir suas instalações de forma sustentável oportuniza às empresas exemplificar suas políticas sustentáveis de forma racional e inteligente.

As principais características das construções sustentáveis são:
- Ocupação sustentável do terreno (minimização dos impactos negativos ao entorno relacionados à nova edificação);
- Eficiência no uso da água;
- Eficiência no uso de energia;
- Materiais com reduzido impacto ambiental em seu ciclo de vida (extração - produção - transporte - consumo - descarte);
- Qualidade do ambiente interno aos usuários da edificação provendo um local saudável, livre de agentes tóxicos;
- Paisagismo com baixa manutenção e baixo consumo de água;

- Gerenciamento dos resíduos durante a construção da edificação e também durante seu uso;
- Segurança no canteiro de obras;
- Acessibilidade universal.



Com a crescente preocupação ambiental no setor da construção civil a tendência é que os custos relacionados às construções sustentáveis diminuam, à medida em que os agentes envolvidos (projetistas, construtores, fornecedores de materiais, usuários...) estejam mais bem informados, que processos sejam otimizados e novas tecnologias e materiais ecológicos sejam disponibilizados no mercado.

Faz-se importante salientar que os eventuais investimentos extras adotados em uma construção sustentável já podem ser recuperados, pois as estratégias adotadas trazem economias operacionais expressivas no consumo de água e energia.

Gerenciamento de Resíduos de Construção Civil

Além de consumir consideráveis recursos naturais, a construção civil é a indústria que mais gera resíduos, direta e indiretamente. Por outro lado, há inúmeras oportunidades de intervenção para a prevenção e mitigação de impactos ambientais. 


No Brasil, as técnicas construtivas utilizadas (material e mão-de-obra) favorecem o desperdício na execução das novas edificações. Estima-se que no país mais de 60% da quantidade de resíduos sólidos urbanos coletados em cidades com mais de 500 mil habitantes sejam provenientes destas atividades. Um eficiente gerenciamento de resíduos de construção civil pode qualificar os processos e apontar caminhos para as decisões mais eficazes de ações diretas sobre este que é, atualmente, um dos maiores problemas das metrópoles no Brasil.

O depósito de resíduos de obras em locais inadequados (aterros, lixões) estão diretamente relacionados a inúmeros impactos ambientais (como obstrução dos sistemas urbanos de drenagem, para citar um dos mais conhecidos), e o acúmulo de resíduos pode gerar risco por sua periculosidade.

A legislação federal estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil, disciplinando as ações necessárias de forma a minimizar os aspectos ambientais relacionados. O setor público (Prefeituras) deve disponibilizar à população aterros especialmente construídos para o descarte de resíduos de construção civil, assim como fornecer informações sobre como destinar as sobras de obras.

A adequada gestão das sobras de canteiros pode indicar alternativas para atender ao que se chama de ''4R's'':
- Reduzir de sua geração (estratégias projetuais e de execução que minimizem o desperdício);
- Reusar (de materiais e componentes na própria obra);
- Reciclar (encaminhamento adequado de materiais para reciclagem em novos produtos ou como matéria prima em outras indústrias);
- Repensar (adoção de novas estratégias para melhorar o processo - Produção Mais Limpa).

O gerenciamento adequado dos resíduos oriundos de construções, de demolições e de reformas aponta para a redução de um dos principais impactos ambientais relacionados a essas atividade. Adicionalmente, pode oportunizar a geração de benefícios sociais, como renda para trabalhadores no reaproveitamento e reciclagem de materiais.



Se houver interesse, baixe o arquivo da dissertação de Mestrado da Arq Lisandra Fachinello Krebs ''Coberturas vivas extensivas: análise da utilização em projetos na região metropolitana de Porto Alegre e serra gaúcha'' - NORIE/UFRGS, em formato pdf.


Baixar